Com aulas presenciais, Esmagis finaliza curso de Técnicas de Redação de Sentença

Com aulas presenciais, Esmagis finaliza curso de Técnicas de Redação de Sentença

27 alunos concluíram, nesta terça-feira (1º), o curso Intensivo de Técnicas de Redação de Sentenças Cíveis e Criminais, promovido pela Escola Superior da Magistratura de MS (Esmagis) e pela Associação dos Magistrados do Estado de MS (Amamsul). O curso já se tornou tradicional em MS, pois possui aulas práticas e presenciais com juízes que atuam no Poder Judiciário estadual. A capacitação começou em 12 de setembro e contemplou 64 horas-aula. Os alunos receberam certificado de conclusão.
Com aulas teóricas e com prática na redação de Sentenças Cíveis e Criminais, o curso Intensivo da Esmagis atraiu pretendentes à carreira da magistratura, já que a terceira fase do concorrido Certame é a confecção de uma Sentença. Mas não só este público mostrou interesse. Profissionais que atuam ou pretendem atuar como assessores em gabinetes também realizaram o curso.
“A maioria dos juízes efetuam testes com os pretendentes a assessores e alguns colegas magistrados acabam perguntando para nós, professores do curso de redação, se há algum aluno que se destacou para indicar”, explica o juiz Marcelo Andrade Campos Silva, que atuou como professor de redação de sentenças cíveis.
Ainda, segundo ele, este curso se tornou tradicional no Estado de MS, sempre com grande procura. “O curso de sentença é um projeto que tocamos desde 2008 e já estamos com a 15ª Turma. É um curso eminentemente prático, voltado para a redação de sentença. A abordagem teórica é feita com dois terços para a Área Cível e um terço para Criminal, perfazendo 64 horas-aula, em cinco semanas”, explica Campos Silva.
O juiz Mário José Esbalqueiro Júnior, que atua como professor de redação de sentenças criminais, ressalta a contribuição social promovida pela Esmagis, de forma direta e indireta. “A escola tem prestado um serviço à população, que vem em busca de se qualificar, mas de outro norte, temos um serviço a própria magistratura, qualificando pessoas para atuarem, futuramente como juízes ou auxiliares do Poder Judiciário”, explica.
Segundo Esbalqueiro, o diferencial do curso é que os alunos podem vivenciar a prática de um juiz de Direito, uma vez que o curso além de presencial, tem em seu corpo Docente, juízes que atuam nas varas cíveis e criminais da capital. “Isto reforça a tradição deste curso. Este ano tivemos fila de espera e reservamos poucas vagas, pois é um curso prático, com escrita e correção de redações. Além de termos um plantão de dúvidas com os alunos. Tudo isto é uma oportunidade para conhecerem o fazer jurídico”, disse o juiz, ressaltando que o curso é uma ferramenta que deve ser associada ao direito processual e material, para dominar, com a prática, este conteúdo.
Foi justamente isto que a aluna do curso, Renata Silva, buscou. Incentivada por colegas ela, que é advogada e residente na cidade de Dourados (distante 225 km da capital), matriculou-se no curso para se preparar para concursos. “Meu objetivo é aprender mais na prática sobre a sentença. Eu achei muito interessante o curso por aprender com juízes, presencialmente. Este é um diferencial, que os cursos Ead (à distância) não proporcionam. Para mim, foi salutar estudar a sentença criminal, já que atuo como advogada na área cível e pretendo, futuramente, prestar concursos”, disse a aluna.
Conheça: Com duração de pouco mais de um mês, contando com 64 horas-aulas, divididas em 40 para área cível e 24 para área criminal, o curso Intensivo de Técnicas de Redação de Sentenças Cíveis e Criminais, promovido pela Escola Superior da Magistratura de MS (Esmagis) tem qualificado profissionais formados em Direito.
As aulas acontecem na sede da Esmagis, localizada na Rua 25 de Dezembro, nº 37. Os interessados em fazer este ou outros cursos da Escola podem ligar nos telefones: (67) 3384-1940 e (67) 98428-5541, das 13:00 às 22:00 horas, ou ainda, acessarem de qualquer lugar o sítio eletrônico www.esmagis.com.br/, onde o aluno encontra muita informação.

 

Deixe uma resposta